quinta-feira, 9 de setembro de 2010

MULHERES DE ATENAS

DEIXE O CONHECIMENTO ENTRAR:
ACESSE PORTAL
MULHERES DE ATENAS



"Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos, orgulho e raça de Atenas
Quando amadas, se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas
Cadenas

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos, poder e força de Atenas
Quando eles embarcam, soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas.

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Geram pro seus maridos os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito nem qualidade
Têm medo apenas
Não têm sonhos, só têm presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas
Morenas....."
(Augusto Boal/Chico Buarque)


Como se vê as mulheres  tinham um papel submisso na sociedade ateniense
As mulheres não tinham direito de voto

DEUSA DA TERRA CULTIVADA, DAS COLHEITAS E DAS ESTAÇÕES DO ANO


EDUCAÇÃO EM ATENAS

Em Atenas não havia escolas públicas, embora, pela lei, todo pai tivesse obrigação de fornecer educação ao filho do sexo masculino. Os atenienses acreditavam que sua cidade-Estado seria mais forte se cada menino desenvolvesse integralmente suas melhores aptidões. O ensino não era gratuito nem obrigatório, ficando a cargo da iniciativa particular.
A educação das meninas era direcionada aos afazeres domésticos
Quando o menino completava 7 anos cabia ao pai enviá-lo a um mestre particular.
Os pais que possuíam os recursos necessários faziam isso.

SALA DE AULA

A sala de aula era muito simples: apenas uma cadeira com encosto para o mestre e banquetas para os alunos.
A vida escolar dividia-se em dois períodos:
no primeiro, chamado música, os alunos aprendiam a ler , escrever, fazer contas e a musica propriamente dita.

O segundo período começava aos 14 anos e era chamado de ginásio
Nele, além das atividades intelectuais, enfatizavam-se bastante os exercícios físicos.
O nome " ginásio" vem de gumnos que nele se exercitavam não vestiam roupas.
Os ginásios atenienses tinham a tarefa de transformar os meninos em cidadãos completo, cálculos.Lá os alunos estudavam, discutiam política e questões filosóficas. O uso da palavra era bastante estimulado, pois o sistema político de Atenas valorizava as pessoas que sabima expor suas ideias com clareza.
Parte da aula era dedicado aos exercícios físicos.
O treinamento físico não tinha apenas objetivos militares.
Procurava-se também preparar atletas para competirem nos jogos olímpico.
Na outra parte, os alunos aprendiam leitura, escrita, cáculo, poesia e música.
Além disso, aprendiam com os mais velhos a falar e argumentar com perfeição
Por fim, depois dos 18 anos, os que podiam continuar estudando frequentavam as lições de retórica e de filosofia.
Em geral, essas lições eram ministradas pelos sofistas, como eram chamados alguns oradores e pensadores gregos que trabalhavam como professores particulares e eram mestres na arte de argumentação.


FILOSOFIA: do grego philosophia, que na Grécia Antiga significava, entre outras coisas, " amor à sabedoria"
A filosofia é o ramo do conhecimento que reflete sobre todos os assuntos, pois seu objetivo é ampliar a compreensão da realidade como um todo.

Retórica: arte de falar bem, de argumentar e de convencer

PARA O HOMEM  GREGO:
VIDA PÚBLICA

PARA A MULHER:
 vida doméstica



AS MULHERES TINHAM POUCA LIBERDADE EM ATENAS, EM COMPARAÇÃO COM OUTRAS CIDADES GREGAS.

1-Casavam-se muito cedo entre 15 e 18 anos, conforme a escolha feita pelos pais
2-Podiam ser devolvidas aos pais pelo marido, em caso de esterilidade ou de adultério
3-A mulher continuava a ser submissa mesmo depois de casada, pois o marido substituía o pai como tutor.
4-As mulheres de famílias com mais recursos passavam muito tempo recolhidas em casa, onde dispunham de um espaço destinado exclusivamente a elas, o gineceu
5-Nas poucas vezes que saiam de casa, eram obrigatoriamente acompanhadas por uma escrava

XENOFONTE ( 430 a. C 353 a.C) HISTORIADOR GREGO
Dizia:
"é mais honesto para a mulher ficar em casa do que estar sempre saindo; e é mais vergonhoso para o homem ficar em casa do que fora, tratando de negócios.
portanto, deverás permanecer em casa, mandar acompanhar teus servos( escravos) encarregados dos trabalhos externos e fiscalizar pessoalmente aqueles que trabalham dentro de casa
Deverás receber o que for trazido e distribuir as provisões que devem ser usadas: com relação ao supérfluo, tu deverás zelar para que não se gaste num mês o que estiver destinado ao ano inteiro
Quando te trouxerem lã, tu mandarás fiar e tecer vestuário para aqueles que deles estiverem necessitando, igualmente terás que zelar para que as provisões secas estejam boa para comer
Entretanto, uma das tuas funções que, talvez, te agradará menos: se algum de teus escravos ficar doente, deverás cuidar dele até sua cura completa."

ÁGARA - um espaço público, era frequentado apenas pelos homens


  MENTE SÃ E CORPO SÃO

Prece de Sócrates aos deuses:

'Divino Pã " - e vós deuses outros destas paragens! Dai-me a beleza da alma, a beleza interior e fazer com que o meu exterior se harmonize com a beleza espiritual. Que o sábio me pareça sempre rico; que eu tenha tanta riqueza quanto um homem sensato possa suportar e empregar. "
Prece de Sócrates. In Platão.Fedro

A BELEZA DOS ATLETAS OLÍMPICOS

Os jogos olímpicos gregos eram realizados em homenagem a Zeus . Em 776 a.C., realizou-se o primeiro torneio, em Olímpia, que passou a ser realizado a cada 4 anos.
Para os gregos, os atletas eram " a expressão da coragem e da beleza física dos homens, com formas maravilhosas, com habilidades impressionantes, com esforço invensível, cidadãos de bom caráter e capazes de proteger a nação.."

HOJE:
A BELEZA, ATLETAS, PADRÕES DE BELEZA
O CORPO FALA

A magreza, por exemplo, nem sempre foi valorizada.Houve época em que as gordas eram tidas como mais bonitas do que as magras.
Desde o início do século XIX, na Europa multiplicavam-se os ginásios, os professores de ginásticas, chamando atenção para as vantagens físicas dos exercícios.
No início do século XX, tem ínicio a moda da mulher magra, uma obsessão pelo emagrecimento. A chamada boa aparência impunha-se.
A obesidade começa a tornar-se um critério determinante de feiura.
A gordura opunha-se aos novos tempo que exigiam corpo ágeis e rápidos.
Multiplicam-se as fábricas de beleza, com cirurgia plática milagrosa.
Num novo mundo onde se morre de fome, uma verdadeira lipofobia.
A indústria cultural ensina às mulheres que cuidar do binõmino saúde-beleza é o caminho seguro para a felicidade individual.
Portanto, o sujeito serve ao corpo em vez de servir-se dele.



O mito de Prometeu e de Pandora

Os mitos representam uma forma de o ser humano explicar a vida n aTerra, a origem dos sofrimentos, das doenças e da morte.

"  (...) Prometeu deu aos seres humanos o dom precioso do pensamento e ensinou ao povo muitas artes e habilidade, tal como estudar as estrelas em suas órbitas, e como usá-las para navegar pelos mares. (...) Entrou no Olimpo, o lar dos deuses, robou o fogo da carruagem do Sol, e o levou para a Terra, dentro de um talo de erva-doce. Então ele ensinou a humanidade como usar o fogo para cozinhar  e manter o calor. (...)
Zeus vingou-se de maneira terrível de Prometeu e da humanidade por terem roubado o dom do fogo. Ele ordenou ao ferreiro coxo ( alguém que anda de maneira irregular; manco ), Hefesto, que fizesse uma mulher de argila com a beleza de uma deusa imortal, mas que trouxesse azar para a humanidade. Todos os deuses lhe deram presentes, e a chamaram Pnadora, que quer dizer " cheia de dons '.
Zeus mandou Pandora de presente, não para o esperto Prometeu , mas para o seu irmão idiota, Epimeteu, cujo nome significa " reflexão tardia ". Prometeu tinha avisado seu irmão que não aceitasse nenhum presente de Zeus. Mas Epimeteu ficou tão encantado com a beleza de Pandora que a tomou como esposa.
Epimetu tinha ajudado seu irmão a distribuir muitos dons para a humanidade, e em sua casa tinha um vaso selado que continha os males da doença, velhice e vícios. Prometeu e Epimeteu tinham poupado a humanidade disso.
Pandora não conseguia parar de imaginar o que havia naquele vaso, e eum dia a sua curiosidade foi demais. Ela abriu o selo. Do vaso saíram as maldições da humanidade que enchem nossas vidas com sofrimentos e in fortúnios. (...) "

PHILIP, Neil. O livro ilustrado dos mitos; contos e lendas do mundo

Um comentário:

Nathalia Linck disse...

Apesar de ter gostado da história, fiquei triste com alguns erros de português.